segunda-feira, 27 de abril de 2009

«E esta, hein?!»

Isabel Santos, quem quer que seja a senhora, escreveu a crónica que encerra o Festival Caminhos do Cinema Português. Sobre o dia 25, no qual foi exibida a minha curta metragem, refere:


"Na sessão da noite e para além da indescritível curta “Cântico Negro”, de Hélder Magalhães, foi exibida a longa “100 Volta”, com a presença do realizador Daniel Souza, o mais puro exemplo de mau gosto kitsch, presente neste festival e em que o realizador aproveitou para insultar em palco quem lhe proporcionou a exibição do filme, Francisco Bravo Ferreira."



A crítica é muito bem vinda, mas fiquei sem perceber se é boa ou se é má. Pode ser um bom comentário, mas acaba por ficar consumido pela perceptível má crítica ao "100 Volta".
Alguém quer tentar perceber? Agradece-se, já agora...

A quem se interessar, a crónica completa pode ser lida aqui.

8 comentários:

Astrid disse...

Bem, neste caso, quem sabe seja melhor comprender pouco, que compreender mal... ;)
Beijos, flores e estrelas \o/

Helder Magalhaes disse...

Mais ou menos, querida Astrid...

É que fiquei muito curioso!

Acima de tudo, fiquei orgulhoso por a senhora ter falado do meu filme na sua crónica. Estou-lhe, certamente, muito grato por isso e aceito as palavras por ela escritas. Mas que gostava de perceber melhor, gostava...
Independentemente disso, fico também contente por saber que o filme foi visto e mal/bem apreciado por quem lá estava :))

Beijinhos, com o teu eterno azul, do
Helder

Astrid disse...

Helder,
everything is fake... Ok, ok in my opinion... \o/

Astrid disse...

Helder,
só rindo cintigo... kkkkkkkk

Acertaste é um facto... mas só 50%... é que eles detestam ser chamados de Senhor... Responda rápido: quantas aulas da Paula Bobone tu frequentaste? Quantas?????? Quantas regras tiveste que decorar? Não me digas que ainda rezas andas de dormir? Anjinhos do céu... portei-me bem... kkk sorry!!! Fuiiiiiiii

Helder Magalhaes disse...

Ah! Se eu soubesse que eles não gostam de ser tratados por Senhor...

Pois, eu frequentei todas as aulas da tia Paula. Não faltei a uma e decorei as regras todinhas na ponta da língua senão a tia iriçava-se toda e levava tudo à frente dela!!
Era uma tola, nem imaginas!

A gente comporta-se sempre mal... por mais que queiramos, somos os piores anjinhos que existem à face da terra... nem vale a pena negar...

Beijos, que também me fui, do
Helder

Astrid disse...

Eu sabia! Está confirmado: Helder Magalhães é bad boy. Chuta latas de cerveja e seven up às 02:00 da manhã pelas ruas de Portugal, picha muros com ofensas aos críticos portugueses, rasga livros da Tia Paula, ouve todos os discos de música pimba (adora a Rute Marlene) em alto e bom som, veste-se de mulher os 4 dias de Carnaval e põe a culpa todinha nos seus genes tortos... Sim, meus caros, ele é bad-boy. E prova disso é que trata todos bem (quando sóbrio) e o sítio onde se sente mais senhor de si não é em festivais de cinema... não, meus caros... nananinanão... Helder, sente-se mais senhor de si quando entrega testes com a expressão: "Eu também me fui e tu, já foste storrrr?" :))))

Helder Magalhães, um português que ainda recomenda-se!

Ui! Acho que agora vou ter que me ir esconder no lugar onde EU (moi, je...) sinto-me mais senhora de mim: Portugal dos pequeninos... :)

Fuiiiii mesmoooooooooooo :)))

brincadeirinha, hein?!... amigos... já sabes perco o amigo, mas jamais a piada... são os meus genes tortos... ;)
abreijos, flores e estrelas ***** (aprendi nas aulas de um tal deosé Castelo Branco);)

Astrid disse...

Helder, meu querido,

Não devemos dar demasiada atenção ao que os críticos têm a dizer, jamais alguém deu-se ao trabalho de erguer-lhes uma estátua...;)

Abreijos, flores e estrelas *****

Helder Magalhaes disse...

É uma verdade, querida Astrid.
Já não és a primeira que me faz um aviso/conselho desse género.

A aprendizagem é sempre gradual. Tudo vai lá com calma, ou pelo menos é o que espero!!

Beijo, em teu azul, do
Helder