segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

REPO! The Genetic Opera

A Ópera-Rock mais macabra que pode haver!



Num futuro não muito longínquo, onde a doença e a podridão dominam as ruas, surge a empresa GeneCo com uma cura milagrosa. Os preços são elevados e a GeneCo não está para brincadeiras. De atenciosos passam a devoradores e quem não paga a dívida receberá a visita do Homem Repo!
Quem é esse homem Repo? Ninguém sabe. Mas todos sabem que, se não pagarem à GeneCo, ficarão mórbidamente sem os orgãos disponibilizados pela empresa. Seja, rigorosamente, o que for, vemos cidadãos a serem estripados, corações a serem arrancados e espinhas dorsais a serem, enjoativamente, puxadas à força!
No meio de tantos orgãos, doentiamente removidos dos seus possuídores, somos envolvidos numa velha história de desamor que deu origem a tanta desgraça. Um pai, médico, sedento de encontrar uma cura para a doença da filha que também está infectada. Da mãe ninguem sabe, desaparecida ou morta, é um mistério. Mas tudo se revelará através de uma série de flashbacks, 17 anos atrás, que envolvem o médico, a sua esposa e o actual presidente da GeneCo.
"Repo! The Genetic Opera" não é, de todo, um mau filme. É surpreendente, sim, e não é para qualquer um. Anuncia-se como "a ópera que não é para os teus pais" e mais certos não podiam estar.
Sarah Brightman integra o elenco da Ópera-Rock, no excelente papel de Blind Mag. Uma mais valia, sem dúvida alguma. A ver:




2 comentários:

Runcolho disse...

Já me lembro porque é que não vi o filme.

Não gostei da música do trailer.

Helder Magalhaes disse...

Não foi uma escolha particularmente feliz, concordo.

Mas a da Sarah Brightman vale bem a pena!

Abraço.