sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Eu sou assim...

"O espírito de Iura era extremamente complexo e confuso; suas opiniões, suas maneiras de pensar, suas tendências, caracterizavam-se pela originalidade. Era dotado de uma sensibilidade requintada e as suas reacções eram sempre inesperadas.
Apesar de toda a fascinação que a arte e a história nele exerciam, Iura não hesitara na escolha do curso. Assim como a alegria natural ou a predisposição para a melancolia não legitimavam uma profissão especial, assim - pensava ele - a arte não constituía também uma vocação. A Física e as Ciências Naturais interessavam-no muito e considerava que na vida prática era necessário escolher um ofício útil à sociedade. Matriculara-se, portanto, em Medicina.
(...)
Iura sabia pensar e escrever. Desde o liceu que sonhava com uma obra em prosa, um livro de «biografias» em que, como cargas explosivas, se escondessem as ideias e as imagens que lhe enchiam o espírito. Mas era ainda muito novo para realizar um tal livro e teve de se contentar com escrever versos, à semelhança de um pintor que passasse a vida a desenhar esboços para o grande quadro.
Iura perdoava a si mesmo o pecado de haver escrito tais versos, pelo que neles encontrava de enérgico e de original. Essas qualidades, a energia e a originalidade, eram, a seus olhos, o que a arte continha de essencial pois que, quanto ao resto, a arte era vã e inutil - assim pensava."

in "O Doutor Jivago", Boris Pasternak
Ed. Circulo de Leitores, Janeiro de 1975



Se conseguirem, façam as comparações.
Sou ou não sou assim?


1 comentário:

Runcolho disse...

"Apesar de toda a fascinação que a arte e a história nele exerciam, Iura não hesitara na escolha do curso."

É mentira! :P