segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Um dia

Um dia serei.
O quê? Não sei.
A lágrima que hoje sou,
a sombra.

Um dia serei.
Sim! Mas não sei.
O vazio que hoje sinto,
a saudade.

Um dia, eu sei,
sei o que serei.
A tua juventude,
o teu eu.
A mentira que hoje sou,
a máscara que uso.

Serei teu, um dia,
eu sei!

J.L.

4 comentários:

Astrid disse...

Eis aí um bom argumento par um curta... E já agora vamos curtir a vidinha? ;)

Beijos, flores e estrelas *****

Helder Magalhaes disse...

Astrid,
escreve lá o argumento!

e 'bora lá curtir a vidinha!

Beijo!!!, do
Helder

Astrid disse...

Ui, sorry!

Helder Magalhaes disse...

Sorry porquê, Astrid?

LOL

bjs